HOME  |   APRESENTAÇÃO  |   PALESTRAS  |   VÍDEOS   |   ARTIGOS  |   PARCERIAS   |   NEWSLETTER  |   CONTATO


     
 
 
     
 
                    

SUSTENTABILIDADE 

 

Sustentabilidade - ou Desenvolvimento sustentável - é um conceito/prática que vem sendo atualmente aplicado e apresentado na mídia, nos países e mercados, no que diz respeito ao homem e ao meio ambiente; e a inter-relação que cidadão, profissional, empresa e governo têm com a questão.

Há um modo sintético de definirmos tal conceito/prática, tal como: usufruir dos recursos naturais - atendendo as demandas das produções do mundo capitalista, mas, de forma que sejam herdados para as gerações futuras; e o homem, em seus ''multipapéis'' -  seja como cidadão, profissional, seja como empresário, governante – tem, em todas essas posições, uma responsabilidade compartilhada.

O Homem, no papel de cidadão, entendemos que seja aquele que não esteja ativo profissionalmente, de forma que não interfira em demasia no meio, embora  interaja  de alguma forma para ter sua ''dose'' de responsabilidade. Alguns exemplos: economia de luz e água doméstica; jogando lixos nos recipientes corretos, entre outras ações.

Já o profissional, entendemos que seja aquele que por estar mais ativo no mercado, interaja com mais freqüência ou intensidade; geralmente, dependendo de sua função, gasta mais energia elétrica, utiliza meios que liberam mais gás carbono; materiais cujos resíduos não são renováveis, entre outros poluentes.

Enquanto o empresário é aquele que executa mais papéis, incluindo o do cidadão e do profissional, além do que, em muitos dos casos, supervisiona, gerencia ou preside, em setores de forte influência ambiental. Ele tem grande responsabilidade no processo.

Neste contexto, sob a ótica das empresas ou organizações, percebemos que elas são as principais responsáveis ou as que detêm maior impacto e responsabilidades; tanto nos de destruição quanto nos de recuperação e preservação dos recursos naturais.

Para suprir tais demandas, indústrias adotam a cada dia novas práticas, que visam não apenas produzir materiais que gastem ou poluam menos o meio ambiente, mas sim, que sejam fabricados usufruindo dos recursos que a natureza nos oferece. Como, por exemplo, os produtos com embalagens biodegradáveis.

Por fim, o governante - também exercendo o papel de cidadão e de profissional  - tem uma responsabilidade fundamental para o sucesso do processo, como, por exemplo, a de fiscalizar as empresas e adotar leis que promovam uma melhor praticidade e qualidade de ações para a sociedade, bem como para o meio ambiente.

Num contexto geral, todos temos nossa ''dose'' de responsabilidade neste processo, que demanda equilíbrio entre avanço tecnológico, desenvolvimento profissional, social e biodiversidade. Assim como: um cidadão, um profissional, uma empresa e um governo precisam ser auto-sustentáveis, o mundo - com a colaboração de todos estes setores - também precisa.

 

Daniel Lascani


 


Portal Instituto Lascani 2016. Todos os direitos reservados. A copia parcial ou integral infringe na quebra de direitos autorais. | AC Design.
Página Principal